Já imaginou, toda semana, poder participar do momento mais especial da vida de diferentes casais? Esse é o privilégio do fotógrafo de casamento, que têm a tarefa de captar imagens que vão eternizar o ‘sim’.

Para esclarecer algumas dúvidas das noivas (contamos com a ajuda – e perguntas – das nossas seguidoras no Instagram!), conversamos com Thaminne, parte da dupla que compõe a Aloha Fotografia. Responsáveis pelos cliques do casamento de Laura Neiva e Chay Suede e de vários outros no Brasil e pelo mundo, o casal, que está junto há 15 anos e casados há sete, faz fotos lindas, que capturam a emoção dos noivos com muita sensibilidade e com um estilo próprio, sem perder de vista a personalidade de cada casal (nem precisamos dizer que somos fãs, né?! rs).

“Fotografia de casamento é para sempre, escolher alguém que você se identifica vale demais”

 

Com que antecedência os noivos devem contratar o fotógrafo de casamento?

Depende do fotógrafo que eles escolherem… nós, por exemplo, abrimos a agenda com 12 meses de antecedência… Acho que logo depois do local é importante a parte de vídeo e fotografia, pois geralmente são empresas que pegam apenas um evento por dia.

Gostou do vestido? Compre no Usei Uma Vez!

Gostou? O vestido está à venda no Usei Uma Vez!

Que características os noivos devem buscar ao escolher a pessoa responsável pela fotografia do casamento?

O “santo tem que bater” haha. Não acreditamos que somente um bom trabalho e portfólio deva ter o poder dessa decisão… os fotógrafos ficarão o dia inteiro do casamento atrás do casal, então precisa ter empatia entre as partes. Outra parte que achamos importante é conhecer o trabalho do profissional por completo, não somente por “fotos do Instagram”.

É importante conhecer o trabalho do profissional por completo, afirma Thaminne.

Qual conselho você daria para os noivos que ainda estão na dúvida de qual fotógrafo de casamento escolher?

Sei que é difícil quando se fala em casamento, pois são muitos gastos, mas acho legal tirar a parte do “quanto custa” e selecionar os 2 que mais se identificou (quando dizemos se identificar é olhar as fotos e conseguir se enxergar naquele trabalho) e, a partir desses dois, colocar quais considerações de um e de outro e, por último, ver a questão de valores… fotografia de casamento é para sempre, escolher alguém que você se identifica vale demais.

O maior desafio do trabalho é conseguir transmitir nas imagens quem são os casais, conta Thaminne.

Agora uma dúvida mais técnica: sempre nos perguntam sobre as cores que podem ser usadas pelas madrinhas e mães. Acreditamos que todos devem ter liberdade para escolher isso, mas para os fotógrafos, é bom a noiva avisar, por exemplo, se decidir colocar todas as madrinhas em tons claros (muitas têm receio que os convidados fiquem “de branco” igual à noiva)? 

Nós somos super livres quanto a isso… o que a noiva escolher ficará lindo, pois vai fazer sentido para ela. Já fotografamos madrinhas de cores claras e amamos, já fotografamos madrinhas de preto e amamos mais ainda e até já fizemos que as madrinhas também estavam de branco e ficou incrível… achamos legal quando se pede um “tom” (falando em fotografia) seja os tons pastéis, tons de cinza, tons de azul, etc.

Fotógrafos e cinegrafistas fazem apenas um casamento por dia.

Qual é o maior desafio e a maior recompensa do seu trabalho?

O maior desafio é conseguir transmitir nas imagens quem são os casais, como seres individuais e como casal também. Isso diz muito sobre o nosso trabalho… e acaba nos frustrando as vezes, pois nem sempre temos liberdade para isso… mas entendemos que isso é muito pessoal e respeitamos. Tecnicamente falando, o maior desafio é a questão de horário: os casais às vezes marcam a cerimônia com 1h para o pôr do sol e não levam em consideração os atrasos (que infelizmente sempre acontecem) e que o dia pode estar nublado.

Recompensa é poder viver todo fim de semana um dos dias mais incríveis da vida das pessoas… é surreal o sentimento que passa por nós nesses dias.

Recompensa é poder viver todo fim de semana um dos dias mais incríveis da vida das pessoas, diz Thamine.